O LAGO DE CORUPUTUBA

A foto acima obtive em 1967 com a minha antiga Bieka. É o lago da Fazenda Coruputuba, em Pindamonhangaba.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

O Jogo dos Dez Anjinhos


  • Participantes: Um Avô e uma Neta
  • Recomendação: Que a Neta tenha aproximadamente um décimo da idade do Avô (mas isto não é essencial)
  • Local do jogo: Uma Piscina
  • Etapas:

1-           A Neta fica em pé sobre o trampolim, ou a mureta, conforme a Piscina. Fica o Avô dentro d’água, de costas para a Neta, olhando para o Céu e falando sozinho: “Nossa, como o céu está bonito, o que será que tem lá, tem as nuvens, ah lá, tem passarinho voando, será que tem Anjinhos também?”

2-           A Neta pula na Piscina, mergulhando. O Avô se aproxima, meio assustado. Quando a Neta põe a carinha para fora d’água, o Avô pergunta: “- Nossa! Quem é você?” E a Neta, meio sem fôlego, responde que ela é um Anjinho, que o nome dela é Pietra. O Avô demonstra admiração, faz perguntas sobre o Céu, e a Neta explica que lá é muito bonito, que lá tem muitos outros Anjinhos e que daí a pouco vai chegar outro Anjinho.

3-           O Avô agradece as informações, deseja ao Anjinho um bom passeio pelo Planeta etc. e ajuda o Anjinho a sair da Piscina (o Anjinho não consegue fazer isto sozinho e suas asas devem estar molhadas...).

4-           De novo, a Neta fica em pé sobre o trampolim etc. e o Avô fica olhando para o Céu (ver Etapa 1). Então cai mais um Anjinho, mergulhando. O Avô vai lá e pergunta tudo outra vez, só que agora o Anjinho já é outro:  “- Meu nome é Sabrina!”.

5-           O jogo prossegue, com as cenas sempre meio iguais. Muda o nome do Anjinho várias vezes. O Avô, macaco velho, às vezes examina os dentinhos do Anjinho e constata admirado: “Interessante, você também está com dentinhos faltando na frente, igual ao Anjinho tal, que também é banguela!”. E o Anjinho explica: “Nós somos gêmeos!”.

6-           Depois, um a um, começam a chegar lá das alturas infinitas os Anjinhos-Bicho. Cai e mergulha, primeiro, um Anjo-Tubarão. Mas é manso. Para sossegar o ambiente, o Anjo-Tubarão beija a mão cheia de sardas do Avô, que fica mais tranquilo. Em seguida, cai um Anjo-Leão, que não fala nada, só rosna e urra, não dá para o Avô entender nada. E chega um Anjo-Peixe, que tem as bochechas chupadas ao máximo, formando um lindo biquinho com os lábios cor de rosa.

7-           Sensacional é a chegada do Anjo-Tartaruga Marinha, que logo vai avisando que precisa sair da Piscina: “Aqui não é minha água!”.

8-           Claro que várias cenas diferentes acontecem, mas não vão para o ar, ficam em off. Porque às vezes é preciso planejar a performance. Então o Anjo sai do seu personagem, assume o costumeiro papel de Neta e pergunta: “Vovô, o que é que tubarão come?”. Ou o Avô precisa falar com a Neta, não com o Anjo, e recomenda: “Olha, cuidado, não vai pular muito perto das pessoas! Cuidado com a beira da Piscina!”.

9-           Estas recomendações não têm graça, não têm magia. São muito terrestres. Mesmo assim, tudo prossegue, até que o Avô não aguenta mais e, por sorte, a Neta informa: “- Vovô, agora vou brincar com as minhas colegas. Tchau!

10-        E sai voando.

*****
Texto de Paulo Tarcizio da Silva Marcondes

Foto de PalasAthenaAnamariaJorio