O LAGO DE CORUPUTUBA

A foto acima obtive em 1967 com a minha antiga Bieka. É o lago da Fazenda Coruputuba, em Pindamonhangaba.

domingo, 30 de outubro de 2011

Abrigo

Meu nome é paz
Agora que me ergo em espuma
Acompanhando a extensão da praia
E refluo em seguida para me atirar de novo
Desenhando na subida o que apago na volta.

Meu nome é luz
Agora que abro meus braços leves dentro
Das nuvens que flutuam transparentes
Sobre a mata que protege todos os meus morros.

 
Meu nome é perfeição
Agora que chovo sobre toda a enseada
E a escureço da Cabeçuda até a Almada
E me filtro na direção dos riozinhos surpreendidos.

 
Meu nome é eternidade
Agora que pulso na persistência dos passarinhos
E descrevo a história da vida humana
Na curva descendente do voo da gaivota.

*  *  *

Poema de Paulo Tarcizio da Silva Marcondes
Livro “Terra Vegetal” – Reg. Biblioteca Nacional: 133.608